Homens&Pássaros

pesquisar

 
Domingo, 20 / 05 / 12

Sem palavras

Anteontem fui dormir sem palavras.


Sonhei sem palavras.


Acordei, ontem, sem palavras.


Fui ao banheiro sem palavras.


Escovei os dentes sem palavras.


Tomei banho sem palavras.


Vesti a roupa sem palavras.


Conversei com meu amor sem palavras.


Tomei café sem palavras.


Saí pra rua sem palavras.


Entrei no ônibus sem palavras.


Trabalhei sem palavras.


Almocei sem palavras.


Trabalhei de novo sem palavras.


Voltei pra casa sem palavras.


Tomei banho sem palavras.


Comi sem palavras.


Assisti à novela sem palavras.


Fui pra cama sem palavras.


Transei com meu amor sem palavras.


Dormi sem palavras.


Sonhei novamente sem palavras.


Acordei, hoje, sem palavras.


Escrevi este post sem dizer palavra.


E você, caro leitor, ficou sem palavras!


TõeRoberto

publicado por Antonio Medeiro às 17:00
Terça-feira, 18 / 01 / 11

Antonialvo

Ela passou com sua bundinha empinada - 10 anos, 20 vezes por dia - semana de 05 dias.

Antonialvo rabiscou o rabo do olho pela 52.800 vezes.

Baixou a cabeça e continuou trabalhando.

Ela passou pra ir ao banheiro com a sua bundinha empinada.

Antonialvo rabichou o rabisco do olho.

Baixou a continua e cabeçou trabalhando.

Ela voltou do banheiro com a sua bundinha empinada.

Antonialvo rabiscou o olhado do rabo.

Baixou o trabalho e continuou cabeçando.

Ela passou mais 17 vezes com sua bundinha empinada.

Antonialvo...

Baixou...

À tarde, Antonialvo depois de tantas idas vindas daquela bundinha empinada estava sereno.

Deixou o rabichou com o olho do continuou e cabeçou o rabo do trabalhando.

Foi internado com 40 graus de febre, com 52.800 bundinhas empinadas girando no meio da sua cabeça.

90 dias de licença.

E o médico o aconselhou mudar de emprego, onde ela não passasse 20 vezes por dia com a sua bundinha empinada.

Dizem que Antonialvo passa bem!

Só as consegue palavras organizar não direito!

publicado por Antonio Medeiro às 10:17
Terça-feira, 23 / 11 / 10

Inventário

Abri a porta, entrei em casa, acendi a luz e, num passe de mágica, o manto da consciência adormecida saiu de cima de mim.

Olhei em volta e vi em cada parte da casa os sinais do meu suor misturado com o meu sangue.

Coisas que colecionei pela vida, a ferro e fogo.

E fui inventariando:

Sofá: R$ 1000,00 - Televisão: R$ 700,00 - Decodificador da Sky: R$ 348,00 - Rack: R$ 420,00 - Mesa de telefone: R$ 119,00 - Telefone: R$ 137,00 - Celular: R$ 411,00 - Máquina fotográfica: R$ 899,00 - Mesa de centro: R$ 80,00 - Vaso: R$ 43,00 - Jarro: R$ 17,00 - Flores sintéticas: R$ 14,00 - Estatueta: R$ 34,00 - Chapéu: R$ 90,00 - Máquina de datilografia: R$ 131,00 - Computador: R$ 1100,00 - Notebook estragado: R$ 1800,00 - Maleta do notebook: R$ 119,00 - Scanner - R$ 239,00 - Impressora: R$ 250,00 - Porta CD: R$ 59,00 - Aparelho de som: R$ 1300,00 - Mesa de som: R$ 550,00 - Caixas de som: R$ 470,00 - Violão: R$ 180,00 - Violão: R$ 700,00 - Teclado: R$ 710,00 - Suporte do teclado: R$ 62,00 - Microfone: R$ 90,00 - Fone de ouvido: R$ 13,00 - Ventilador: R$ 143,00 - Mesa do computador: R$ 230,00 - Livros: R$ 1330,00 - Mp3: R$ 240,00 - Mesa da sala: R$ 470,00 - Cesta de frutas: R$ 22,00 - Porta-retrato: R$ 45,00 - Guarda-roupa: R$ 850,00 - Colchões: R$ 345,00 - Computador: R$ 1350,00 - Estabilizador: R$ 55,00 - Mesa do computador: R$ 115,00 - Ventilador: R$ 80,00 - Guarda-roupa: R$ 632,00 - Colchões: R$ 244,00 - Porta-jóias: R$ 85,80 - Carrinho de bebê: R$ 453,00 - Ventilador: R$ 80,00 - Guarda-roupa: R$ 327,00 - Cama de Casal: R$ 580,00 - Colchão de casal: R$ - 390,00 - Ventilador: R$ 143,00 - Roupas: R$ 1300,00 - Sapatos - R$ 220,00 - Tênis: R$ 140,00 - Xampu: R$ 12,50 - Condicionador: R$ 14,30 - Cremes: R$ 92,00 - Escova de dente: R$ 18,00 - Pasta de dentes: R$ 6,20 - Armarinho do banheiro: R$ 73,00 - Box - R$ 300,00 - Chuveiro: R$ 29,00 - Remédios em uso: R$ 294,00 - Remédios sem uso: R$ 520,00 - Rede: R$ 120,00 - Cadeira de praia: R$ 40,00 - Banquinho de praia: R$ 18,00 - Mesa de varanda: 42,00 - Cadeiras de varanda: R$ 140,00 - Geladeira: R$ 2500,00 - Fogão: R$ 1500,00 - Bujão de gás: R$ 50,00 - Recipiente de água: R$ 12,00 - Bebedor de água: R$ 330,00 - Armário do bebedor de água: R$ 60,00 - Liquidificador: R$ 220,00 - Batedeira: R$ 439,00 - Espremedor de Laranja: R$ 225,00 - Processador: R$ 42,00 - Microondas: R$ 274,00 - Armário: R$ 239,00 - Panelas de inox: R$ 220,00 - Jogo de facas: R$ 101,00 - Agulha de costurar frango: R$ 2,00 - Utensílios de cozinha: 462,00 - Prateleira: R$ 45,00 - Máquina de lavar roupa: R$ 1100,00 - Transformador: R$ 110,00 - Varal suspenso: R$ 37,00 - Caixa de ferramentas: R$ 27,00 - Ferramentas: R$ 296,00 - Bicicleta - R$ 283,40 - Churrasqueira: R$ 128,30 - Churrasqueira de barro: R$ 12,00 - Espetos: R$ 28,00 - Grelha: R$ 19,00 - Diversos: R$ 847,90.

Mentalmente fiz o balanço dos 'bens' adquiridos vida afora.

Estava tudo ali: milhares de horas de trabalho, sangue, suor, dias sem dormir, preocupações, ansiedade, angústia e um vazio... um vazio profundo.

E me lembrei da chamada publicitária do Mastercard, com quem, por sinal, estou sempre atolado:

Tem coisas que só a Mastercard me dá: o meu status de idiota!!!

Apaguei a luz e fui dormir com a estranha sensação de que eu, um homem moderno, e um burro somos separados apenas por um ínfimo detalhe:

O burro não é eu!!!

publicado por Antonio Medeiro às 08:18
Quarta-feira, 03 / 02 / 10

Homens&relógios

A frequência do tempo invade a vida
e há relógios que batem, batem e batem
e que não se contentando em bater
anunciam as horas, os minutos
os segundos, as frações do tempo.

 

A necessidade do homem invade a vida
e há homens que trabalham, trabalham
e trabalham
e que não se contentando em trabalhar
para ganhar o pão de cada dia
ganham também o pão do próximo dia
do próximo mês, do próximo ano
do próximo século.

 

E trabalham como se fossem relógios
de precisão digital
sem tempo, sem descanso, sem paz
enchendo seus celeiros de reais
de dólares, de euros, de marcos
enchendo suas vidas com o vazio
que caracteriza os idiotas.

.
TõeRoberto

publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Quinta-feira, 03 / 09 / 09

A doada

Só pra registrar!

Ano: 1930 e alguma coisa.

Palco: Uma fazenda, em Minas Gerais.

Cena: Uma mulher, em agonia, parindo.

Resultado: Morrem mãe e filho.

Homem, desde que o mundo é mundo, sempre pensa com a cabeça errada. O marido não foi exceção.

Colocou dentro de casa uma mulher jovem, bonita e....

Consequências: a irmã mais velha, queimada; a do meio, pernas fraturadas; a mais nova, marcas das belas unhas da madrasta pelo corpo inteiro.

Numa época x, de comportamento y, as três irmãs foram tipo doadas - na acepção da palavra - para as irmãs do fazendeiro.

Duas tiveram um pouco mais de sorte; a mais velha, não.

Com 06 anos sentiu a dor do trabalho pesado. Enfiada no trabalho da casa: ama-seca de meninos maiores que ela, faxineira, lavadeira, passadeira, cozinheira e tudo o mais. E algumas coisas bem mais humilhantes que lavar latrinas: tipo escovar os cabelos da sua "patroa".

Analfabeta entrou/analfabeta saiu; com a roupa do corpo entrou/com a roupa do corpo saiu quando deixou de trabalhar para a sua "patroa" depois de 40 ou 50 anos de trabalho duro.

Cruel, egoísta, dissimulada, desprovida de piedade, amor, carinho, solidariedade: assim era sua "patroa".

Uma mulher que escondia comida dos próprios filhos.

Escondia tanto que a comida se perdia: enfiava maçãs, peras, uvas, pêssegos dentro dos guarda-roupas e gavetas e esquecia. Lá ficavam: na limpeza, achavam montes e montes de frutas podres.

A avareza era tanto que não permitia coisas boas nem para ela.

A única pessoa que conheci que não gostava de música.

O assunto é longo. Dez romances no mínimo.

Mas ela se foi - me lembro quando se foi.

Disse, no leito de morte, que ninguém gostava dela. A única vez que foi sábia na vida.

Pessoas desse tipo precisam de muito amor e carinho. São pessoas mal-amadas. Crianças que tiveram uma infância muito infeliz. Disciplina rígida e educação voltada para o egoísmo absoluto.

Este tipo de gente ainda existe.

Um conselho: se elas forem adultas, fique longe delas; não são boas companhias.

Como eu disse: só pra registrar!

.
TõeRoberto

publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Segunda-feira, 18 / 05 / 09

TROÇO

Asdroaldo procurava uma cueca na gaveta de calcinhas quando deu de cara com o Troço.

Quase teve um troço!

Olhou Adneide dormindo. Olhou para o Troço. Olhou Adneide dormindo.

Não pegou o Troço. Abriu a porta do guarda-roupa, tirou a toalha da cintura e ficou observando o seu membro no espelho: cabisbaixo, meio torto para a esquerda, o saco escrotal murcho - pendurado - o membro dormindo com a cabeça apoiada sobre ele. Deu um tapinha pra cá, um tapinha pra lá. Morto estava, morto ficou.

Foi até a cama, puxou o cobertor de Adneide e ficou observando: a mulher - gostosa - só de calcinha, sem sutiã. Olhou para o seu membro no espelho. Deu um tapinha pra lá, um tapinha pra cá. Morto estava, morto ficou.

Foi até a gaveta de calcinhas, apanhou o Troço e voltou para observar Adneide. Olhou novamente para o membro. Colocou o Troço lado a lado com o membro e ficou medindo - pelo espelho. O Troço era um troço e... Deu mais um tapinha...

Cobriu Adneide, fechou a porta do guarda-roupa, guardou o Troço na gaveta de calcinhas, vestiu a cueca, foi até a cozinha - 05 horas da manhã - pegou o litro de cachaça no armário e numa talagada só levou o litro até o meio.

Voltou ao quarto, abriu a gaveta de calcinhas, olhou mais uma vez para o Troço, puxou o elástico da cueca, olhou mais uma vez para o seu membro, largou o elástico da cueca, fechou a gaveta, foi até a cama, deu um beijo no rosto de Adneide, vestiu a roupa, passou na cozinha, deu mais uma talagada de cachaça e saiu para trabalhar.

No ônibus, um troço girando na cabeça... um estranho sorriso nos lábios.
.
TõeRoberto-post in férias por aí/br

música: Variada
publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Sábado, 31 / 01 / 09

MÉDICO

Textos Escolhidos

 

Sabe cumé! Segunda idade e 1/2, fui ao médico ontem.

Na sala, deitado:

"Aposentado?" "Faz o quê?" "Fuma?" "Bebe?" "Exercício Físico?" "Não trabalha com nada"?

Fiquei olhando aquele sujeito me escutando por dentro, colocando aquele troço no meu braço... e se dizendo preocupado com minha vida.

Pensei: este sujeito é doido. Se eu sou aposentado por que ele tá perguntando o que eu faço. Não faço nada! Sou aposentado, cacete! Ele tá querendo o quê? Que eu arrume um emprego?

Dito e feito!

O sujeito me disse na bucha: "o senhor precisa arrumar uma atividade!"

Questionei: defina atividade.

Uma coisa para o senhor ocupar o seu tempo. Para não ficar ocioso durante o dia.

Pensei de novo: o sujeito é doido mesmo!

Perguntei ao infeliz: o senhor conhece o Homens&Pássaros?

"Homens&Pássaros?"

Sim, Homens&Pássaros! O senhor não tem ideia do tamanho da boca do danado. Eu trabalho dia e noite para alimentá-lo. Ele come mais que os meus 05 filhos juntos.

E o senhor ainda acha que eu não faço nada?

O sujeito virou-se para o computador: "qual o endereço?"

Homens&Pássaros...

Abriu, rolou pra cá, rolou pra lá, olhou para mim e... "o senhor precisa parar de trabalhar. Precisa tirar umas férias, com urgência."

E tem gente que acha que não faço nada!

Uma mãozinha na consciência vai bem!
.
TõeRoberto-post in jampa/pb

música: Variada
publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Blog de TõeRoberto

Adamo&Isabelle

Julho 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Comentários recentes

  • Sem palavras, silenciou e falou.Sem Palavras! Caro...
  • Caro TõeRoberto,Exceto pela parte do dedo no vidro...
  • Elimine os filtros, Primo! Não é fácil... eu que o...
  • show de bola o texto, especialmente as frases fina...
  • Olá, desculpa o meu Português não escrever bem per...

mais comentados

blogs SAPO


Universidade de Aveiro