Homens&Pássaros

pesquisar

 
Sábado, 17 / 01 / 09

EREÇÃO

Textos Escolhidos

 

Um sujeito nos EUA recebeu uma indenização de US$400.000 de uma empresa.

Motivo: fez um implante no pênis para ter uma ereção duradoura e teve: ficou 10 anos de pau duro!

Dizia o sujeito: "não posso usar short, nadar, abraçar meus amigos, dormir de bruços... ir à igreja."

Vira esse trem pra lá, meu fio!

Mas que sujeito estressado!

Eu ficaria contente com 01 ereção de 10 minutos, imagine 01 de 10 anos.

Já pensou o sucesso com as amigas... e com os amigos?

Você sempre lembrado:

Maridão falhou: os 02 pensam em você.

Namorado não compareceu: ela pensa em você.

O sujeito ficou só na primeira: os 02 pensam em você.

O rei das fantasias secretas das amigas... conforto secreto dos amigos.

Cobiçado por mulheres e gays, invejado pelos homens.

Que beleza! Já pensou dar uma de 24 horas... sem sair de cima! Uau!!!

Não anotei o nome da empresa milagrosa, semana que vem viajo para os EUA.

Eu quero uma ereção duradoura... a coitada da patroa também!
.
TõeRoberto-post in jampa/pb

música: Variadas
publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Sexta-feira, 09 / 01 / 09

O CIGARRO

Textos Escolhidos

 

02 datas importantes tive na minha vida:

01 em 1959 quando comecei a fumar e outra em 25 janeiro de 2003, quando deixei.

+ de 03 carteiras ao dia, durante 44 anos.

Fez as contas?

Vamos lá:

44 anos x 365 dias x 03 carteiras/dia = 48.180 carteiras, no total.

48.180 carteiras x 20 cigarros/carteira = 963.600 cigarros, no total.

963.600 cigarros x 06 cm (que é o que eu fumava de 01 cigarro) = 5.781.600 cm, no total.

5.781.600 cm: 100 (01 m tem 100 cm) = 57.816 m, no total.

Resultado: em 44 anos, fumei 48.180 carteiras de cigarros, 963.600 cigarros, 57.816 m de cigarros ou 57,81 km, no total.

A Souza Cruz levou:

48.180 carteiras de cigarros x R$ 2,90 (é o preço do cigarro que eu fumava) = R$ 139.722,00 - cento e trinta e nove mil, setecentos e vinte e dois reais - no total.

Não podemos esquecer que Nena também é fumante, nos mesmos parâmetros.

Cálculos assustadores, não?

Acho que o Guiness seria algo justo para mim.

Fumei de tudo:

Luiz XV, Pullman, Macedônia, Sir, Lincoln, Free, Camel, St James, Bacana, Haiti, Olé, Dallas, L&M, Parlamient, Belmont, Kalrton, Charm, Kent, Lucky Strike, Plaza, Pall Mall, Fullgor, Mistura Fina, Negritos, Finesse, Capri, Noturno, Havaí, Derby, Hollywood, Cônsul, Minister, Continental, Galaxy, Marlboro e mais umas 50 marcas, no mínimo, das quais não me lembro o nome, mais os talos de mamoeiros, de chuchuzeiros, fumo de rolo e cachimbos de barro.

Fui o rei da contravenção: fumei em ônibus, táxi, avião, navio, na casa e no carro dos amigos, na empresa, quarto de hospital, recepção de clínica, escola, museu, restaurante, cinema, teatro, quarto de hotel... meu quarto, no quarto dos meus filhos; em qualquer lutar onde fosse proibido fumar, eu fumei.

Absurdo, não?

Você deve estar pensando: este sujeito é um babaca!

Assumido, mas sem remorsos!

Afinal de contas, eu gostava muito de fumar!

E você?

É viciado em alguma coisa?

Sexo, trabalho, consumismo, novela, futebol, Deus, cerveja, guaraná, basquete, chocolate, internet, carro, café, chá, maconha, coca-cola, cigarro, perfume, sonífero, calmante, analgésico, mesa de jogo, livro, música, política, dinheiro?

Qual é o seu vício?

Me desculpe, você é viciado em alguma coisa.

Só que ainda não sabe que é.

Mas não se preocupe, você tem 44 anos para se libertar do seu/sua amante muito gostosa.

É difícil: afinal ele/ela é muito convincente e muito boa de cama.

Tem até 01 ditado sobre vício que diz o seguinte: "o álcool é o pior inimigo do homem, mas covarde é o homem que foge do seu inimigo."

Respire fundo: o vício é inerente ao ser humano.

Gostando ou não, o cigarro foi muito importante na minha vida: me ensinou onde colocar as mãos nos momentos de timidez e constrangimento.

Esteve presente em todas as poesias, contos e músicas que eu criei.

Companheiro inseparável nos momentos de solidão.

O seu vício também é... até a data da separação!

Litígio na certa!!!
.
TõeRoberto-post in jampa/pb

música: Variadas
publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Terça-feira, 21 / 10 / 08

OS CHATOS II

Textos Escolhidos

 

Ontem estava vendo um filme e me veio à cabeça o poema O Sobrevivente, do livro Alguma Poesia, de Carlos Drummond de Andrade, publicado em 1930.

Assim:

 

"Impossível compor um poema a essa altura da evolução
da humanidade.
Impossível escrever um poema - uma linha que seja -
de verdadeira poesia.
O último trovador morreu em 1914.
Tinha um nome de que ninguém se lembra mais.

 

Há máquinas terrivelmente complicadas para
as necessidades mais simples.

 

Se quer fumar um charuto aperte um botão.
Paletós abotoam-se por eletricidade.
Amor se faz pelo sem-fio.
Não precisa estômago para digestão.

 

Um sábio declarou a O Jornal que ainda falta
muito para atingirmos um nível razoável de cultura.
Mas até lá, felizmente, estarei morto.

 

Os homens não melhoraram
e matam-se como percevejos.
Os percevejos heróicos renascem.
Inabitável, o mundo é cada vez mais habitado.
E se os olhos reaprendessem a chorar seria um segundo
dilúvio.

 

(Desconfio que escrevi um poema.)"

 

Por que me lembrei do poema?

Alguns dias atrás escrevi sobre os chatos que estão mandando em nossas vidas.

Pois bem, no filme mencionado, um general, testa-de-ferro dos chatos, diz o seguinte:

Neste país não se fuma, não se bebe, não se sonha acordado; não se consome drogas, carne vermelha, açúcar; não se faz sexo (a não ser que seja casado), não se dorme tarde, levanta-se cedo e se trabalha para produzir bens de consumo em escala mundial, para atendermos às necessidades alimentares e tecnológicas dos povos e para, com alegria, participarmos do crescimento e do enriquecimento da nossa nação. Fazemos isto porque somos patriotas e demoramos séculos para chegar a tal nível de civilização.

Eu acho que Drummond conhecia bem os chatos e já sabia, 70 anos atrás, que eles um dia seriam os donos do mundo.

Olhe a sua volta: há sempre um chato por perto, com uma nova lei embaixo do braço.
.
(Fonte: Texto - Autoria de TõeRoberto)
Post in Jampa/PB

música: Vaca Profana - Gal Costa
publicado por Antonio Medeiro às 05:05
Domingo, 05 / 10 / 08

CHATOS

Textos Escolhidos

 

É um tempo duro!

Pessoas têm que se multiplicar por duas, três... dez para darem conta de suas atribuições diárias.

O dinheiro é difícil!

Ganhar dinheiro tornou-se, lamentavelmente, numa doença.

Ou ganha, ou morre!

Às vezes é necessário se vender, outras vezes é necessário vender aos outros.

Pessoas se entregam à orgia do querer, do possuir a qualquer custo.

Nunca o diabo comprou tantas almas!

Nunca foi tão fácil dominar o rebanho!

A vida, dia-a-dia, fica cada vez mais chata.

A vida está quase que totalmente dominada por gente chata, gente que parece que teve muitos problemas na infância.

Para entender o que estou falando olhe bem no rosto, nos olhos do Bush.

Este tipo de gente está metendo o bico em tudo!

Estão se metendo em todas as áreas das nossa vidas.

Tem especialista no amor, saúde, viagens, negócios, beleza, tristeza, alegria, sono, leitura, sexo, em tudo o que pensarmos.

Tudo em nome do dinheiro!

E querem dar palpites em tudo: no nosso, cafezinho no nosso cigarrinho, na nossa cachacinha, na nossa barrinha de chocolate, na nossa farrinha, na nossa "picainha" gorda, no nosso horário de dormir, no livro que lemos, no programa de tv que assistimos.

Até naquele pouquinho de irresponsabilidade, tão inerente à raça humana, eles dão "pitacos".

Estão presentes em tudo!

A vida agora tem manual para tudo: "como agradar aquele gato"; "como emagrecer sem fazer força"; "como ficar com a pele bonita"; "como ficar feliz"; como se sentir amado"; "como sentir prazer"; "como não comer picanha"; "como não fumar"; "como não beber"; "como fazer sexo;" como não ser chato"; "como etc."

E o dinheiro, em todas as suas formas, vai alienando o rebanho! E tudo parece normal!

Antes usavam a polícia, os cães e as armas para deixar o rebanho dócil. Hoje, fabricam sonhos e os vendem através da mídia.

O rebanho se movimenta, o sistema engorda.

O monstro agradece!

A vida continua.... só que bem mais chata do que antes!

E tem gente que acha que estou falando merda!
.
(Fonte: Texto - Autoria de TõeRoberto)
Post in Jampa/PB

.

música: Sub Produto Do Rock (Geração Do Rock) - Cazuza
publicado por Antonio Medeiro às 03:51
Blog de TõeRoberto

Adamo&Isabelle

Julho 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Comentários recentes

  • Sem palavras, silenciou e falou.Sem Palavras! Caro...
  • Caro TõeRoberto,Exceto pela parte do dedo no vidro...
  • Elimine os filtros, Primo! Não é fácil... eu que o...
  • show de bola o texto, especialmente as frases fina...
  • Olá, desculpa o meu Português não escrever bem per...

mais comentados

Subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro