Homens&Pássaros

pesquisar

 
Terça-feira, 21 / 09 / 10

50 anos I

Às portas dos 50 anos
o poeta, astro maior,
é só brilho.

Fundiu-se na galáxia
e espalhou-se em fragmentos
nos olhos do tempo.

Sangra os pés
nas pontas brilhantes das estrelas
e seu coração,
lua cósmica,
minguando no universo,
explode em feixes de luzes
e ilumina, suavemente,
sem preconceitos,
o casal de humanos
- à beira do mar -
insanos!
(Eunápolis/ba/10:34hs)

publicado por Antonio Medeiro às 06:09
Quarta-feira, 23 / 12 / 09

A sentença XVIII

Confusa alma incerta
do poeta
aberta aos sonhos cegos
do profeta.

 

Palavras, a sentença
do arquiteto.

.
TõeRoberto

 

publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Sexta-feira, 18 / 09 / 09

Antilirismo

O poema da folha
branca, branda, ampla
quadrática
sistemática
burocrática
de timbre dourado
bitolado
o poema sem cor
branco, brando, amplo
confina-se ao acaso.

 

O poeta antilírico
quadratizado
sistematizado
burocratizado
bitolado

relê
trelê
e fica triste
com a impossibilidade
de fazê-lo belo.

.
TõeRoberto

publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Quinta-feira, 02 / 07 / 09

VAMOS FALAR DE AMOR

Vem, vamos falar de amor:
amor sem marca registrada
amor sem patente
amor sem dono,
vamos falar de amor
mas não nos entreguemos
definitivamente!

 

Vem, vamos falar de amor:
amor de noite angustiada
amor de cachorro
amor de rua
amor de línguas desesperadas,
vamos falar de amor
mas não nos entreguemos
definitivamente!

 

Vem, vamos falar de amor:
amor de abraços na esquina
amor de copo na mão
amor de alma sem chama
amor de coito na lama,
vamos falar de amor
mas não nos entreguemos
definitivamente!

 

Vem, vamos falar de amor:
amor de quem sofre a vida
amor de olhos sem brilho
amor de desejo de morte
amor de mãos vazias,
vamos falar de amor
mas não nos entreguemos
definitivamente!

 

Vem, vamos falar de amor:
amor sem endereço
amor sem desejo de vida
amor descontraído.
Vamos falar de amor:
amor de poeta
amor de prostituta.
Vem, mas não nos entreguemos
definitivamente!

.
TõeRoberto-post in jampa/pb

música: Variada
publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Quarta-feira, 17 / 12 / 08

A PERGUNTA XX

Poemas Escolhidos

 

O que fazer quando o poeta dorme?
Quando o poeta sonha
que o poeta acorda
e está sozinho no meio da praça
com o corpo nu
a vida gasta
com o frágil verso
afogado em mágoas.

 

Prender o poeta por imoralidade
emprestar-lhe vida, nova carcaça
escorar-lhe os versos
com concreto e aço
ou fuzilar o poeta no meio da praça?

.
TõeRoberto-09:28-post in jampa/pb

música: O Poder Da Criação - João Nogueira
publicado por Antonio Medeiro às 05:02
Segunda-feira, 15 / 12 / 08

O PEDIDO IX

Poemas Escolhidos

 

De mim não esperem nada
sou volúvel, poeta
efêmero como a rosa...
suas pétalas
obscuro como o discurso do profeta
ousado como kamikazes
na guerra.

 

Não tenho pátrias
nem quimeras
não sou desse presente
nem da terra
sou brilho
ponto
sujeira
num quarto de hotel
da Riviera.

 

Não pensem em mim
não me esperem
não passo de um acordo
não cumprido
com aqueles a quem mais amo
e considero.

.
TõeRoberto-09:26-post in jampa/pb

música: Because - Perry Como
publicado por Antonio Medeiro às 05:25
Blog de TõeRoberto

Adamo&Isabelle

Julho 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Comentários recentes

  • Sem palavras, silenciou e falou.Sem Palavras! Caro...
  • Caro TõeRoberto,Exceto pela parte do dedo no vidro...
  • Elimine os filtros, Primo! Não é fácil... eu que o...
  • show de bola o texto, especialmente as frases fina...
  • Olá, desculpa o meu Português não escrever bem per...

Subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro