Homens&Pássaros

pesquisar

 
Sábado, 29 / 11 / 08

O 17º CANTO

Poemas Escolhidos

 

Que poema é este que cantam os antípodas?
que revoluciona os ares inconscientes e determina
uma estranha visão
que chegou pela manhã na cidade mal-iluminada
adentrou-se na inconstância
dos homens
e como fino punhal estraçalhou as atitudes
e sangrou violentamente as formalidades.

 

Que poema é este?
que corrompeu a filha antidialética
de germano macedo
envergonhou a beata marta por sua masturbação
diária
calou os cães
fez correr os gatos
e depenou os pássaros coloridos da
gaiola do prefeito.

 

Que poema é este?
que decapitou o padre
esquartejou o delegado
e fez soar as trombetas na noite de maior
gala da cidade.


Que poema é este?
que não demonstra atitudes
não faz prevalecer o seu direito de
ser eterno
e não se autocanta através dos distúrbios
emocionais
de uma comunidade sem honra.
Que poema é este?

.
TõeRoberto-09:10-post in jampa/pb

música: Greensleeves - Loreena Mckennitt
publicado por Antonio Medeiro às 04:56
Sexta-feira, 17 / 10 / 08

CINEMA PARADISO

Textos Escolhidos

 

Um cineasta de sucesso retorna à sua cidade natal quando avisado da morte de um grande amigo seu do passado.

Um amigo que o ajudou a se apaixonar pelo cinema.

A partir desse enredo simples o personagem volta à sua infância e nos mostra um filme onde você chora, ri, reflete, ama, se apieda, fica irado, apaixonado e... com uma sensação de vazio.

Dirigido por Giuseppe Tornatore, estrelado por Philippe Noiret, Salvatore Cascio, Jacques Perrin, entre outros; com música de Ennio Morricone, produção italiana, lançado em 1988, Cinema Paradiso é um verdadeiro hino de amor à 7ª arte.

O Cinema Paradiso também faz parte da minha vida.

Eu também tive o meu Cinema Paradiso.

O meu Cinema tem muita influência dos italianos (até fizeram filmes na minha cidade).

A sala de projeção do Cinema Paradiso é exatamente igual à do meu Cinema.

O projetor preto (fico pensando se não é da mesma marca); os cartazes dos filmes colados nas paredes da escada e da sala; as contínuas interrupções do filme; o projecionista. Tudo igual!

Até a censura dos filmes do Cinema Paradiso era igual à do meu Cinema: feita pelo padre da cidade.

No meu Cinema os únicos filmes livres eram os do tipo Mazaroppi, Marcelino Pão e Vinho e Paixão de Cristo.

O resto, na sua maioria, tinha censura.

O padre do Cinema Paradiso tinha problemas com beijos: cortava todas as cenas, não existiam beijos nos filmes do Cinema Paradiso.

O do meu Cinema não cortava só beijos: cortava pernas, seios, diálogos, lutas, tiros, entre outras coisas.

Os filmes do meu Cinema também eram mutilados pela censura.

Hoje, lembrei-me do filme e da censura.

Da censura do filme e à que fomos submetidos por mais de duas décadas.

Comparei as duas e cheguei à conclusão: todo tipo de censura é abominável, mas aquela do Cinema Paradiso e do meu Cinema chegava a ser lúdica, inocente... engraçada; mas insensatas e absurdas como todas as censuras.

Assista ao filme, você vai se apaixonar.
.
(Fonte: Texto - Autoria de TõeRoberto)
Post in Jampa/PB

música: Cinema Paradiso - Dulce Pontes&Enio Morricone
publicado por Antonio Medeiro às 04:08
Blog de TõeRoberto

Adamo&Isabelle

Julho 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Comentários recentes

  • Sem palavras, silenciou e falou.Sem Palavras! Caro...
  • Caro TõeRoberto,Exceto pela parte do dedo no vidro...
  • Elimine os filtros, Primo! Não é fácil... eu que o...
  • show de bola o texto, especialmente as frases fina...
  • Olá, desculpa o meu Português não escrever bem per...

Subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro