Homens&Pássaros

pesquisar

 
Quarta-feira, 14 / 01 / 09

A 9ª PEQUENA HISTÓRIA DE UM ACONTECIMENTO

Poemas Escolhidos

 

Uma mulher e seu cachorro
diante do mar
falou-me dos homens que sofrem
e sua boca espumava
e seus olhos molhavam
como se o mar tivesse invadido
a cabeça daquela mulher e seu cachorro
e agora derramasse gota por gota
peixe por peixe
coral por coral
de dentro da cabeça
daquela mulher e seu cachorro.

 

Depois aquela mulher saiu com seu cachorro
e eu fiquei olhando
aquela mulher e seu cachorro
e seus rastros na areia.

Aquela mulher e seu cachorro
pareceu-me bem
pelos rastros que deixava na areia
aquela mulher e seu cachorro.

 

Aquela mulher e seu cachorro
parava a cada homem
a cada mulher
a cada criança
a cada onda
e falava dos homens que sofrem
aquela mulher e seu cachorro.

 

De espaço em espaço
longe dos seus rastros
aquela mulher jogava uma migalha
de pão
carne
ou qualquer coisa
para o seu cachorro.

 

O seu cachorro corria
comia
voltava
e lambia os pés daquela mulher
o seu cachorro.

Depois aquela mulher e seu cachorro
continuava pela praia
como se a coisa mais importante do mundo
diante do mar
fosse falar dos homens que sofrem
correr
comer
lamber pés
e fazer rastros retos e circulares
na areia negra de Marambaia
aquela mulher e seu cachorro.

.
TõeRoberto-10:24-post in jampa/pb

música: Variadas
publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Sexta-feira, 14 / 11 / 08

A ESMOLA

Textos Escolhidos

 

Um amigo meu, Pernambucano, dizia que, no Recife, o pedinte tem um comportamento único: quando ele lhe aborda, alguma coisa ele tem que tirar de você.

É como se fosse uma ordem: "me dê!!!"

Assim contava meu amigo, a pretexto de piada:

Você, na rua:

Pedinte: me dê uma moeda!

Você: tem não!

Pedinte: uma bala!

Você: tem não!

Pedinte: então, me dê um cigarro!

Você: fumo não!

Pedinte: que é isso no bolso da camisa?

Você: colírio!

Pedinte - abrindo o olho com as duas mãos: - me dê, pingue uma gotinha aqui pra mim!!!

(...)

Ou você em casa: tap! tap! tap! tap! (palmas).

Você: o que foi?

Pedinte: me dê um prato de comida!

Você: tem não!

Pedinte: um pedaço de pão!

Você: tem não!

Pedinte: uma banana!

Você: tem não!

Pedinte: uma laranja!

Você: tem não!

Pedinte: então, me dê um copo d'água!!!

(...) 
Infelizmente, meu amigo estava errado.

Não é só no Recife que isto acontece.

A miséria, hoje, está cada vez mais exigente.

Por trás dela, nas grandes cidades, existem organizações que a exploram de maneira extremamente profissional.

Sua esmola pode não estar suprindo a necessidade imediata dos miseráveis; pode, sim, estar enriquecendo pessoas sem escrúpulos.

Cuidado com a esmola!

Ajude aos necessitados de uma maneira diferente!

Principalmente, se forem crianças!
.
(Fonte: Texto - Autoria de TõeRoberto)
Post in Jampa/PB

música: Canto Nordestino - Dominguinhos
publicado por Antonio Medeiro às 04:41
Blog de TõeRoberto

Julho 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Comentários recentes

  • Sem palavras, silenciou e falou.Sem Palavras! Caro...
  • Caro TõeRoberto,Exceto pela parte do dedo no vidro...
  • Elimine os filtros, Primo! Não é fácil... eu que o...
  • show de bola o texto, especialmente as frases fina...
  • Olá, desculpa o meu Português não escrever bem per...

Subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro