Homens&Pássaros

pesquisar

 
Sexta-feira, 09 / 03 / 12

Lua alcoólica

A mulher e a caipirinha

o demônio e o inferno

dentro de mim.


Ninguém me mataria hoje

ninguém me beijaria

ninguém me cuspiria

ou xingaria minha mãe.


Ninguém sabe

mas há muito tempo

a vida não termina hoje

nem amanhã

quem sabe no mês que vem.


Não me importo:

amor, posição, dinheiro

as três estações do homem

ninguém sabe, nem saberá!


A noite comprida

esta rua estreita

ninguém sabe o que será.


Sejamos compreensivos

com esta lua alcoólica.


Vem comigo

a mulher espera

com as tetas...
e o cigarro na boca.

Ninguém sabe

mas a mulher espera

há mil e novecentos anos

ela espera que a gente entenda

que nas tetas malabaristas

está escondida a vida.


Ninguém sabe, nem saberá!

 

TõeRoberto

publicado por Antonio Medeiro às 20:11
Sexta-feira, 02 / 12 / 11

Da cor do pecado

Naquela manhã Alzeredo contrariou Risoneide pela 3ª vez.


Risoneide só olhou com o rabo dos olhos, jogou a roupa suja no tanque e começou a esfregar.


Fervendo por dentro, começou a contabilizar mentalmente as roupas:


Calça de Alzeredo. Calcinha de Risoneide. Camisa de Alzeredo. Vestido de Risoneide. Cueca de Alzeredo. Cueca de Alzeredo. Blusinha de Risoneide. Meia de Alzeredo. Camisa de Alzeredo...; parou, ficou pensativa, levou a camisa no nariz e sentiu o perfume... respirou fundo.


Levou a camisa no nariz e cheirou novamente...


Lá estava o cheiro: claro, cristalino, forte, barato... de mulher!


Contou até 10, mas não se virou.


Ficou de pé, com a barriga no tanque, com a camisa na mão; branca - morena que era - como uma vela.


Alzeredo, no banheiro, fazia a barba.


O café estava na mesa: suco de laranja, leite, café, bolacha de maizena, pão, manteiga, goiabada e queijo.


Alzeredo, no banheiro, cantarolava:


Este corpo moreno cheiroso, gostoso que você tem...


Risoneide, com a camisa na mão, o coração querendo sair pela boca... uma coisa ruim por dentro, uma vontade de arrancar aquele tanque com uma porrada, de cortar os pulsos... tomar veneno.


No 'tomar veneno' olhou na prateleira, acima do tanque, e viu uma embalagem verde, com a foto de um rato... uma caveira desenhada.


Ficou sem fôlego, mas pensou... que pensou, pensou!


Ficou 1/2 que sem jeito com o pensamento.


Alzeredo, no banheiro:


É um corpo delgado da cor do pecado que faz tão bem...


O sangue fugiu dos lábios de Risoneide.


Fixou novamente os olhos na embalagem verde, com a foto de um rato... uma caveira desenhada.


Um troço ruim percorreu todo o corpo: como uma onda começou na cabeça e terminou nos pés... e sacudiu o sangue.


Furiosa - em silêncio - jogou a camisa no tanque, pegou a embalagem verde e foi para a sala.


A mesa de café: suco de laranja, leite, café, bolacha de maizena, pão, manteiga, goiabada e queijo.


Olhou para o suco de laranja, com a embalagem verde na mão.


Num movimento rápido, fez o sinal da cruz, despejou o troço no suco de laranja, mexeu e correu de volta para o tanque... o coração saindo pela boca.


E continuou esfregando e contabilizando:

 

Bermuda de Alzeredo. Sutiã de Risoneide. Camisa de Alzeredo...


E, no banheiro, Alzeredo:


Este beijo molhado escandalizado que você me deu...


Risoneide esfregou a camisa perfumada com força.


E ouviu quando Alzeredo saiu do banheiro, passou pela mesa de café, pegou o copo de suco de laranja... e cantarolou:


Tem um sabor diferente que a boca da gente jamais esqueceu...


TõeRoberto

publicado por Antonio Medeiro às 17:54
Segunda-feira, 02 / 11 / 09

Caru

Minha amiga Ana Carolina/Caru é uma figurinha.

A conheci na barriga, a vi crescer, se tornar menina, adolescente, mulher - posso dizer... uma gatinha... gatona.

Mas continua menina!

Sua história se confunde com a história dos meus filhos.

Minha companheira de cozinha - adora um frutinho do mar.

Minha escrava, quando a comida lhe interessa.

Lava, relava, corta, recorta, corre, recorre, enxuga, reenxuga... e participa sempre com sua presença alegre, satírica e solidária.

Não é poeta, mas adora rimas:

TõeRoberto do...

Norival pega...

Nena cara de...

Amana cara de...

Nayê cara de...

Guto cara de...

Solange cara de...

Vlad cara de...

Caru cara de... Ana Carolina, a menina com olhos cor-de-piscina.

É uma figurinha!

Não tem nacionalidade: Paulista, Pernambucana, Paulista, Potiguar, Carioca, Paulista, Potiguar, Carioca, com uma enorme tendência de se tornar mineira.

É a minha amiga Ana Carolina... Caru!

Fazemos parte de um grupo de gente que misturou as histórias das suas vidas: crianças, adolescentes, adultos, segunda idade, terceira idade... animais.

Misturamos nossos filhos, nossos animais, nossos problemas, nossos desejos, nossos anseios, nossas alegrias, nossas tristezas, nossos amores, nossas perdas e juntos estamos acompanhando o passar das nossas vidas repletas de coisas difíceis... mas também de coisas maravilhosas.

Para falar mais de Ana Carolina/Caru teria que escrever uma enciclopédia, tantas foram as histórias, os desígnios de todos nós - partes do grupo.

Ana Carolina é um dos nossos capítulos mais felizes!

A simpatia em pessoa!

Um abraço... não um abraço - mas aquele abraço!!!

Tô te esperando pra fazermos aquela sinfonia marítima... e aquela moqueca!

Com urgência!

.
TõeRoberto

publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Quarta-feira, 21 / 10 / 09

Negócios&Oportunidades

Doa-se um Coração Partido.

Especificações técnicas:

Estado: De dar pena.

Cor: Roxo de amor.

Atividade: Bate uma a outra falha.

Tempo de uso: 20 anos.

Proprietários: Única dona.

Idade: 1/2 idade.

Perfil: Um Coração aberto... mas partido.

Interessados: De preferência mulher.

História: Amou, não foi amado... mais nada.

Motivos: a dona o trocou pelo coração do porteiro.

A quem possa interessar procurar José Leal, na cidade de Jampa/PB.

PS:

Foi corno, mas leal... por 20 anos!

.
TõeRoberto

publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Domingo, 27 / 09 / 09

O mulherengo

Eu tenho um amigo que só tem 04 coisas na cabeça: mulher solteira, mulher casada, mulher separada e mulher viúva.

E Deus, de sacanagem, só lhe deu um pau.

Seus esportes favoritos: futebol, vôlei, basquete, tênis - tudo feminino.

Música: de tudo quanto é mulher.

Comida: todas que terminem com A.

Bebida: cerveja - a marca depende da publicidade. Hoje é a BOA da Antarctica. Já foi a Kaiser.

É o maior cara de pau que conheço. Onde tem mulher ele cisca. Parece um galo velho no galinheiro.

É o rei da baranga. Todas as mulheres do mundo, para ele, são lindas. O danado beija quenga na boca... um boquetezinho de vez em quando.

Não tem preconceito de cor, idade, tamanho, peso. Não tem preconceito religioso, social, político, étnico.

Circula bem entre as negras, brancas, amarelas, pelas de 18 a 80 anos; 1,30 ms a 2,20 ms; 40 a 150 kgs. Convive bem com a Igreja Católica e a Evangélica; com as pobres, as médias e as ricas; com o PT, o PSDB, o PMDB e o DEM; com brasileiras, japonesas, iraquianas e africanas.... é alucinado por um rabo-de-saia.

Como diz ele: piriquita não tem cor, nem nacionalidade, nem ideologia.

Seu projeto de vida: mudar-se para o Oriente Médio e montar um harém - no mínimo com uma Odalisca de cada país do mundo.

Atualmente anda meio escanteado.

A mão também é sua namorada. Atualmente está pensando em ficar noivo dela. Possivelmente até se casar.

O galo velho anda ciscando, mas parece que não tem mais galinhas no seu galinheiro.

A continuar assim acaba virando viado.

.
TõeRoberto

publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Terça-feira, 15 / 09 / 09

Negócios&Oportunidades

Troca-se marido de 75 anos por 03 de 25.

Especificações técnicas:

Estado: Lamentável.

Tempo de uso: Pra cima de 1/2 século.

Saúde: Dobrando o cabo da Boa Esperança.

Cor dos cabelos: Cabelos???

Cor dos olhos: Esbranquiçados.

Cor da pele: Fubenta.

Dentição: 1/2 original, 1/2 perereca.

Uso do vaso sanitário: Razoável.

Alimentação: Com babador.

Aparelho reprodutor: ???????

Vantagens: muita história pra contar - quando fala!

Motivos: Mulher jovem de 25 anos, morena, 1,75, olhos verdes, corpo escultural, peitos... coxas... bunda... boca... o céu é o limite.

PS:

Conta bancária do septuagenário: R$ 32.453.982,50.

Observação: o marido vai, mas a conta fica.

.
TõeRoberto

publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Quinta-feira, 03 / 09 / 09

A doada

Só pra registrar!

Ano: 1930 e alguma coisa.

Palco: Uma fazenda, em Minas Gerais.

Cena: Uma mulher, em agonia, parindo.

Resultado: Morrem mãe e filho.

Homem, desde que o mundo é mundo, sempre pensa com a cabeça errada. O marido não foi exceção.

Colocou dentro de casa uma mulher jovem, bonita e....

Consequências: a irmã mais velha, queimada; a do meio, pernas fraturadas; a mais nova, marcas das belas unhas da madrasta pelo corpo inteiro.

Numa época x, de comportamento y, as três irmãs foram tipo doadas - na acepção da palavra - para as irmãs do fazendeiro.

Duas tiveram um pouco mais de sorte; a mais velha, não.

Com 06 anos sentiu a dor do trabalho pesado. Enfiada no trabalho da casa: ama-seca de meninos maiores que ela, faxineira, lavadeira, passadeira, cozinheira e tudo o mais. E algumas coisas bem mais humilhantes que lavar latrinas: tipo escovar os cabelos da sua "patroa".

Analfabeta entrou/analfabeta saiu; com a roupa do corpo entrou/com a roupa do corpo saiu quando deixou de trabalhar para a sua "patroa" depois de 40 ou 50 anos de trabalho duro.

Cruel, egoísta, dissimulada, desprovida de piedade, amor, carinho, solidariedade: assim era sua "patroa".

Uma mulher que escondia comida dos próprios filhos.

Escondia tanto que a comida se perdia: enfiava maçãs, peras, uvas, pêssegos dentro dos guarda-roupas e gavetas e esquecia. Lá ficavam: na limpeza, achavam montes e montes de frutas podres.

A avareza era tanto que não permitia coisas boas nem para ela.

A única pessoa que conheci que não gostava de música.

O assunto é longo. Dez romances no mínimo.

Mas ela se foi - me lembro quando se foi.

Disse, no leito de morte, que ninguém gostava dela. A única vez que foi sábia na vida.

Pessoas desse tipo precisam de muito amor e carinho. São pessoas mal-amadas. Crianças que tiveram uma infância muito infeliz. Disciplina rígida e educação voltada para o egoísmo absoluto.

Este tipo de gente ainda existe.

Um conselho: se elas forem adultas, fique longe delas; não são boas companhias.

Como eu disse: só pra registrar!

.
TõeRoberto

publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Blog de TõeRoberto

Adamo&Isabelle

Julho 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Comentários recentes

  • Sem palavras, silenciou e falou.Sem Palavras! Caro...
  • Caro TõeRoberto,Exceto pela parte do dedo no vidro...
  • Elimine os filtros, Primo! Não é fácil... eu que o...
  • show de bola o texto, especialmente as frases fina...
  • Olá, desculpa o meu Português não escrever bem per...

mais comentados

Subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro