Homens&Pássaros

pesquisar

 
Sábado, 27 / 12 / 08

HOTEL

Textos Escolhidos

 

Você já viu aquela propaganda de hotel?

"Na sua viagem de férias, hospede-se no Hotel XY e sinta-se em casa."

Acho muito estranha essa propaganda!

Por que cargas d'água eu vou sair de férias, viajar 3000 km para me sentir em casa?

Quando saio de férias, saio de férias de tudo: do trabalho, de casa, da cidade, da rua, do carro, do supermercado, do vizinho, do cachorro... de mim!

Por que vou pagar os olhos da cara para me sentir em casa?

E o pior: é propaganda enganosa!

Pense:

Não existe lugar nem igual, nem melhor do que a minha casa.

Em casa, eu faço a minha comida.

No hotel não tem louça para lavar.

Eu não posso deixar os sapatos e a cueca no saguão do hotel.

Não posso deixar a meia e a camisa no corredor.

Não posso deixar a calça pendurada na maçaneta da porta do quarto.

Não posso andar pelado pelo hotel.

Não posso peidar fora do quarto.

E todas as vezes que eu entrar no hotel, o meu cachorro não vai pular em mim.

E o pior dos enganos: com o preço da diária eu, minha mulher, meus filhos e o cachorro comemos o mês inteiro em casa.

Não caia nessa!

Se você for viajar para sentir-se em casa é melhor comprar uma barraca e acampar no quintal da sua casa.

É bem mais barato e muito divertido!

Sua mulher vai a...do...rar!

Boas férias!!!
.
TõeRoberto-10:29-post in jampa/pb 

música: Isle Of Capri - Billy Vaughn
publicado por Antonio Medeiro às 09:20
Terça-feira, 18 / 11 / 08

MACEDINHO

Textos Escolhidos

 

O meninozinho de carinha suja e olhinhos vivos, filho de D. Madalena Cruz-Credo, chama-se Macedinho e mora lá no fim da periferia da urbanidade dos homens.

"Um pouquinho de comida! Um pouquinho de!..."

(Um homem de terno azul-cinzento ficou bravo na minha frente quando moleques tiraram o pão da boca do cachorro da Rua dos Cachorros).

"Seus moleques!... Capetas!... A prefeitura deveria dar bolas era para vocês!..."

Macedinho tem, nos bolsos furados, uma broa de fubá que aperta com amor.

Na rua, os homens são imponentes; às vezes tomam os pães ou as broas de fubá das mãos e das bocas das crianças indefesas.

Como os meninos ao cachorro.

"Dinheiro prum meio quilo de arroz!..." Deus lhe pague!... Deus lhe..."

As janelas são um amontoado de barras de ferro quadradas e negras dentro da noite fria.

Passos corridinhos, em forma de medo, se movimentam no escuro da cidade e se escondem nas sarjetas da noite.

O homem gordo ronca debaixo de colchas caras.

Macedinho corre pela noite.

Junto dele correm, em silêncio, milhares de olhinhos medrontados, esfomeados e sufocados por nossa omissão consentida.

Os homens dormem seus sonos tranqüilos e sonham, noite adentro, que roubam os pães e as broas de fubá da boca dos meninos adormecidos.

E sorriem absolutos!
.

(Fonte - Texto - Autoria de TõeRoberto)
Post in Jampa/PB

música: Upa Neguinho - Elis Regina
publicado por Antonio Medeiro às 01:39
Segunda-feira, 17 / 11 / 08

O SILÊNCIO LATIDO

Poemas Escolhidos

 

Cadê meu travesseiro?
A noite chegou
o amor me aperta.

 

Sossega, amor!
Não quero brincar de sofrer.

 

Amor durão
travesso
velho!
Amor eterno!

 

O silêncio do amor é doído.

 

Na rua,
o cachorro late sua velha canção.

 

Eu penso
silenciosamente penso
no latido que ouço!...

.
(Fonte: Poema - Autoria de TõeRoberto)
Post in Jampa/PB

música: Dans La Nuit - Sarah Brightman
publicado por Antonio Medeiro às 03:54
Domingo, 28 / 09 / 08

A NOITE

Poemas Escolhidos

 

Homem de capote
lata batendo
cachorro encolhido.

 

No meio da noite
o estampido.

 

Zuuummm!...
faz o vento.

.
(Fonte: Poema - Autoria de TõeRoberto)
Post in Jampa/PB

.

música: Solitaire - Carpenters
publicado por Antonio Medeiro às 05:17
Blog de TõeRoberto

Adamo&Isabelle

Julho 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Comentários recentes

  • Sem palavras, silenciou e falou.Sem Palavras! Caro...
  • Caro TõeRoberto,Exceto pela parte do dedo no vidro...
  • Elimine os filtros, Primo! Não é fácil... eu que o...
  • show de bola o texto, especialmente as frases fina...
  • Olá, desculpa o meu Português não escrever bem per...

blogs SAPO


Universidade de Aveiro