Dê um herói ao povo e ele
se levanta,
com a fúria das ideias,
com o sangue das veias,
o vermelho das mãos.

 

Dê uma diversão ao povo e ele
se acomoda,
esquecendo as ideias,
o sangue de veias,
a tragédia de um herói.

 

Dê um pensamento ao povo e ele
só aspira,
sem querer incomodar.

 

Fale de futebol,
de cinema,
de televisão,
de teatro,
das novas invenções;
fale ao povo de aumento salarial
e ele sorri,
ele espera,
esquecendo tragédias e heróis.

 

O povo é uma criança adormecida.
O povo não sabe o que quer.
O povo é marginalizado em suas reais
aspirações.

 

Dê um herói ao povo e ele
se levanta,
dê duas diversões ao povo e ele
se assenta.

 

O povo é uma criança que vive
subjugada pelos pais.

.
TõeRoberto

publicado por Antonio Medeiro às 05:00