Poemas Escolhidos

 

O que sou
é terem me cortado as asas
terem penetrado em mim
como ferro em brasa
é terem me confinado
numa casa
onde a porta de saída
é só entrada.

 

O que sou
é terem me roubado a vida
terem se incrustado em mim
como eterna ferida
é terem me feito andar
numa avenida
onde o horizonte
é uma guarita.

 

O que sou
é terem me feito espantalho
terem me sentado numa cadeira
no meio da sala
é terem me exigido silêncio
pra não assustar os pássaros
que em vôo calmo
desciam minha garganta abaixo
retornando definitivamente
a casa.

.
(Fonte: Poema - Autoria de TõeRoberto)
Post in Jampa/PB

música: Jura Secreta - Zélia Duncan
publicado por Antonio Medeiro às 04:26