Homens&Pássaros

pesquisar

 
Terça-feira, 25 / 05 / 10

Grito

Depois é feito um grito:
depois de amanhecermos tristes
depois de decidirmos a vida
depois de nos situarmos findos
nos braços do amor impossível
do amor múltiplo - dividido
do amor que não soma - tira
do amor venerado - aflito
do amor indefinido - triste
do amor homicida - frio
do amor sem limites - rinha
do nosso vazio - místico
do nosso querer sem risco
de amanhecermos tristes
de decidirmos a vida
de nos situarmos findos
nos braços do amor impossível
feito um grito múltiplo - dividido
aflito - indefinido
imprevisível - antítese...
grito!!!

publicado por Antonio Medeiro às 11:31
Terça-feira, 18 / 05 / 10

O acompanhador de marés

Às vezes fico olhando a beleza da vida.

A perfeição que é o amanhecer e o anoitecer.

As idas e vindas das marés.

É algo pra se olhar, acompanhar infinitamente... sem pressa.

O mundo está em movimento contínuo.

É um espetáculo maravilhoso de luzes e cores.

Está ali todos os dias: é de graça e o espetáculo não se repete nunca.

E observo que tem gente que não percebe, não enxerga ou, quem sabe, não acredita nisto.

Direcionam os seus olhos, seus instintos para outras prioridades e deixam de "perder" um minuto por dia para aplaudir o milagre da vida.

Passam, indiferentes, diante de tanta beleza nas suas carruagens douradas e se postam como se aquilo não fosse com eles.

E vão, em alta velocidade, rumo ao horizonte em fogo.

Ouvem uma música, sentem na mão o poder dos cavalos mecânicos da sua máquina imbatível, pensam no escritório, no x-burguer do almoço, na fatura do cartão de crédito, naquela secretária gostosa, na chata da esposa, nos pentelhos dos filhos, no jogo do coringão, no churrasco de domingo.

E o universo, em frente deles, explode em graça e mágica, sem reprise, num ato sem precedentes.

E vão: homem e máquina desaparecem ao longe.

E eu fico aqui sentado na murada da praia, em frente deste marzão verde de João Pessoa, pensando se eu não desperdicei um tempo muito grande da minha vida com assuntos sem nenhuma importância.

Com certeza eu deveria ter acompanhado muito mais vezes as idas e vindas das marés.

Mas ainda há tempo.

Amanhã, passarei a ser um acompanhador de marés.

E criarei raízes em frente ao mar.

Experimente... não tem contraindicação!

E não tem fatura no final do mês!...

publicado por Antonio Medeiro às 09:50
Terça-feira, 11 / 05 / 10

Confissão

Eu
silêncio
duas almas juntas
de dia choram
de noite sonham
possuir universalmente
o cogumelo gigante
da ogiva.

Bum!!!...

publicado por Antonio Medeiro às 09:18
Terça-feira, 04 / 05 / 10

Considerações sobre a Raça Humana

A Raça Humana é dividida em 02 facções.

Respeitando-se os diversos níveis em cada uma delas, temos:

Os Brilhosos: que vivem na parte clara da sociedade.

Os Trevosos: que vivem na parte escura da sociedade.

Aos Brilhosos, o Jardim do Éden: Viagens, Alimentação, Boas Escolas, Computador, Carros, Casa Própria, Lazer, Segurança, Saúde, Ar-condicionado, Roupas... Sonhos... Esperança... Uma vida decente.

Aos Trevosos, o Caldeirão do Inferno: Filas, Doenças, Fome, Favelas, Periferia, Violência, Mosquitos, Solidão, Tédio, Penúria, Desemprego, Analfabetismo, Alcoolismo... Tristeza... Pesadelo... Falta de perspectiva.

Os Brilhosos morrem de tanto comer.

Os Trevosos morrem de fome.

Os Brilhosos trafegam na parte clara das cidades, cercados pelos Trevosos que vivem na parte escura das cidades.

As leis, criadas pelos Brilhosos, tentam, a todo o custo, protegê-los dos Trevosos.

Mas o cerco aperta cada vez mais: os Trevosos aumentam a sua população e avançam pra cima do espaço dos Brilhosos.

 Do escuro observam: cobiçam, desejam, querem, invejam, sonham... pensam um dia atravessar a linha que os separa do ser animal e do ser homem para poderem viver na parte clara das cidades.

Quando um Trevoso, por ter algum sucesso pessoal, consegue atravessar a fronteira que o separa do mundo dos Brilhosos torna-se imediatamente um deles e sua primeira providência é se proteger dos Trevosos.

As leis não são suficientes para proteger os Brilhosos dos Trevosos.

E, continuamente, os Trevosos, com violência, transgridem leis severas criadas pelos Brilhosos, e os estupros, assaltos, sequestros, assassinatos são fatos que assustam cada vez mais os Brilhosos.

Mas os Brilhosos não têm só medo dos Trevosos, também têm vergonha : comem com a boca aberta, enfiam o dedo no nariz, jogam lixo nas ruas, coçam a bunda em público, arrotam, fazem suas necessidades na rua, pedem esmolas, limpam vidros de carros, fazem malabarismos nos faróis... sobrevivem!

O atrito entre os Brilhosos e os Trevosos é eterno em toda a extensão da raça humana.

Os Trevosos avançam e querem seu espaço entre os Brilhosos.

Mas estes, contando com a maioria dos governos, dos empresários, da classe média, dos advogados, dos juízes, da igreja, da mídia, dos banqueiros, dos latifundiários, dos políticos e dos intelectuais a seu favor não permitem a invasão.

Eles são as pessoas que formam e protegem a ferro e fogo a facção dos Brilhosos.

Os Trevosos são apenas animais de carga para servir os Brilhosos... e devem continuar assim.

As leis protegem os Brilhosos com tanta severidade que se, por exemplo - o que é muito comum, um Brilhoso roubar R$ 100.000.000,00 do governo ele não vai preso.

Se um Trevoso roubar uma galinha no quintal do vizinho, vai preso e se ferra pelo resto da vida.

E a sociedade, com as duas facções avança.

Aos trancos e barrancos os Brilhosos erguem os seus muros.

Os Trevosos observam.

Os muros sobem e atingem alturas astronômicas.

E são eletrificados.

Os Brilhosos dormem no aconchego dos seus lençóis de seda.

Os Trevosos dormem na dureza da sua miséria consentida.

Mas as facções, principalmente os Brilhosos, sabem, lá no fundo, que, cedo ou tarde, por terem a mesma origem, a mesma índole - por serem cruéis e humanos - se cruzarão, e todas as suas misérias e abundâncias rolarão pelo pó da insensatez da raça humana, num mar de sangue e lamentos.

E mesmo assim não terão remorsos.

Por falar nisso, você passou os cadeados nas grades da tua prisão?

Na calada da noite, os Trevosos te observam!

publicado por Antonio Medeiro às 07:55
Blog de TõeRoberto

Adamo&Isabelle

Maio 2010

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

Comentários recentes

  • Sem palavras, silenciou e falou.Sem Palavras! Caro...
  • Caro TõeRoberto,Exceto pela parte do dedo no vidro...
  • Elimine os filtros, Primo! Não é fácil... eu que o...
  • show de bola o texto, especialmente as frases fina...
  • Olá, desculpa o meu Português não escrever bem per...

mais comentados

Subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro