Homens&Pássaros

pesquisar

 
Sábado, 28 / 02 / 09

HOBBY

Textos Escolhidos

 

O ser humano é uma 'figura'.

Conheci, por ouvir, uma garota - no ônibus.

Bonita, falante, bem vestida, conversava com o motorista sobre amenidades: "Namorada de fulano". "Vai dar praia". "Eliseu? Eliseu é boiola!". "Eu conheço o Luiz". "Amigas são más companhias". "Aquele é um corno". "Leninha é fofoqueira". "Aquilo não presta". "Sabe com quem o João tá saindo?". "O forró foi massa". "Ô Jurandi, tu é muito sem-vergonha!".

Conversa vai, conversa vem - o motorista todo animadinho - acabei descobrindo o que ela mais gostava no mundo, o seu Hobby: circular o dia inteiro pela cidade.

Detalhe: de ônibus, com a conivência dos motoristas.

O dia inteiro!

Sobe em um, vai a Cabedelo. Desce, sobe em outro, vai à Rodoviária. Sobe, desce, sobe, desce, sobe, desce: vai a Cruz-das-Armas, Bessa, Bancários, Jaguaribe, Tambiá, Grotão, Cabo Branco, Mangabeira, Castelo Branco, Ponta do Seixas, Manaíra, Torre, Roger, Intermares, Poço, Centro.

Senta-se atrás do motorista e conversa ... amenidades.

Maria Lúcia, este é o nome da moça, não tem tédio, nem com que se preocupar.

Suas conversas com os motoristas não abrangem o Aquecimento Global, o Al Qaeda, a Guerra do Iraque, o Bush, a Poluição, a Violência no Brasil e no Mundo, os Pseudobenfeitores de Brasília, o Menor Abandonado, o Lucro Exorbitante dos Banqueiros, o Enriquecimento de Urânio pelo planeta afora, a Globalização, os Desempregados - ela própria é uma - o Turismo Sexual e a Merda que é o trânsito nas capitais brasileiras.

Maria Lúcia se alimenta de amenidades. Dorme leve e acorda leve pra mais um dia de pequenas amenidades.

E ela circula no seu mundo com desenvoltura. É conhecida, querida e sua presença é uma recompensa para os motoristas que lidam no dia-a-dia com as pessoas tristes da vida.

E eles ficam menos cansados desse ir e vir diário, sem chegar a lugar nenhum.

Os motoristas sempre a procuram no próximo ponto: ansiosos para deixar de lado a lida dura da vida e viver um pouco de amenidades.

Acho que ela é apenas uma pessoa à procura de companhia.

Um anjo com quem os motoristas conversam, olhando para trás - e nunca batem o ônibus.

Essa é Maria Lúcia, cidadã brasileira, Paraibana de João Pessoa. 
Ainda descendo do ônibus, ouvi:

"Ô Jurandi num me diz que tu comeu a Gisele, home!"
.
TõeRoberto-post in jampa/pb

música: Variada
publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Sexta-feira, 27 / 02 / 09

NOITE II

Poemas Escolhidos

 

À noite
(repentinamente)
um grito
(aniquilamento)
esvai-se
(peremptoriamente)
nos braços
do incansável vento.

.
TõeRoberto-post in jampa/pb

música: Variada
publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Quinta-feira, 26 / 02 / 09

CICLO VICIOSO

Textos Escolhidos

 

Produzir, Vender, Comprar, Consumir.

Produzir, Vender, Comprar, Consumir.

Produzir, Vender, Comprar, Consumir.

Produzir, Vender, Comprar, Consumir.

Produzir, Vender, Comprar, Consumir.

Pobre ser humano! Sua vida se resume no ciclo vicioso acima.

Nascer, estudar, crescer, entrar na Universidade e aprender a: Produzir, Vender, Comprar, Consumir.

As Tvs, a Internet, os Telefones, os Rádios, os Jornais, as Revistas, os Correios, os Muros, os Ônibus, os Carros, as Pessoas vendem , incansavelmente, 24 horas por dia.

A carga de produtos e serviços oferecidos ao cidadão comum chega a ser imoral, tamanha é a insistência das empresas. Ferem leis, quebram regras, aborrecem, invadem violentamente a privacidade das pessoas sem a menor cerimônia. Nada importa, desde que o objetivo seja atingido.

Andar no centro das grandes cidades é um verdadeiro inferno: A miséria vende, vende, vende, vende, vende furiosamente para sobreviver e a sobrevivência está seriamente ameaçada.

As empresas produzem em grande escala e destroem a vida em grande estilo. A devastação do meio ambiente é um espetáculo apocalíptico.

O Lucro, Deus supremo do mundo contemporâneo, agita suas asas Globalizadas, vira as costas para os problemas ambientais e voa para bem longe dos ambientes onde ele, o Lucro, não é mais viável por conta da destruição completa dos recursos naturais.

E tudo não passa de uma grande armadilha: eu Produzo, eu Vendo, eu Compro, eu Consumo.

Sobrevivo nessa roda-viva e alimento a ganância mórbida dos grandes e dos pequenos patrões, sejam eles nacionais ou internacionais.

Somos máquinas montadas com uma única finalidade: cumprir o ciclo do Eu Produzo, Tu Vendes, Ele Compra, Nós Consumimos, Eles contam os lucros.

Diante das atuais circunstâncias, onde somos sócios e responsáveis pela desgraça anunciada, nós empresários e trabalhadores prometemos solenemente Produzir, Vender, Comprar, Consumir... e destruir com absoluta competência a nossa casa: O Planeta Terra.

Revogam-se as disposições em contrário.

Até o Juízo Final!

E por falar nisso, alguém tá querendo comprar um Fusca?
.
TõeRoberto-post in jampa/pb

música: Variada
publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Quarta-feira, 25 / 02 / 09

CONSEQUÊNCIA

Poemas Escolhidos

 

Decepado o pescoço
da alma
o corpo funciona
feito máquina
que tem
uma peça quebrada.

.
TõeRoberto-post in jampa/pb

música: Variada
publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Terça-feira, 24 / 02 / 09

DIAGNÓSTICO

Textos Escolhidos

 

Você já ficou doente? Uma gripe? Uma virose? Uma infecção intestinal? Uma outra coisa qualquer?

Não/sim?

Até aí tudo bem!

Mas uma pergunta: você já recebeu ou viu alguém receber um diagnóstico da 'coisa'?

Sentiu ou viu como a pessoa fica?

As luzes se apagam. Os sons desaparecem. Os odores se vão. As mãos tremem, A boca gagueja, As pernas formigam. Os braços se perdem. A respiração acelera. O estômago revira. A temperatura enlouquece. O chão se vai... o vazio é enorme. A sensação de perda é assustadora. Toda a vida passa a sua frente em míseros 10 segundos.

Disse o médico: "Hum, vamos ver! Foi o que pensei, temos aqui a "coisa": Carcinoma Basocelular!".

Esse foi o meu diagnóstico anos atrás.

Gelei, um fantasma correu as mãos frias pela minha pele, da cabeça aos pés.

Fitei os olhos anuviados no meu carrasco e:

Vivo ou morro! Esta foi a minha pergunta: curta, seca... objetiva.

Uma pergunta que resumia toda a minha vida em míseros 10 segundos.

Com toda a calma do mundo: "Não, não é por aí! A 'coisa' tem jeito! Primeiro vamos fazer um tratamento sem traumas: radioterapia. Não deu jeito vamos mais longe: vamos tirar um pedaço da sua bunda e pregar na sua cara, no lugar da 'coisa'.

Tudo isso na maior tranquilidade.

Também gosto de humor negro. Cagando de medo, pensei mas não falei: aí, doutor, vou ficar com cara de bunda!

Resultado: passei os meus cagaços, as minhas insônias, as minhas crises contínuas de perda... a minha mísera agonia, a cada 10 segundos. Onze anos depois aqui estou.

Não tenho um pedaço da bunda na cara, fui os dos que tiveram sorte com o tratamento sem traumas...

Só posso dizer uma coisa: a 'coisa' é a 'coisa' , mas uma boa dose de humor na adversidade sempre é uma alternativa extra.

Não pensei na 'coisa' como a minha morte. Pensei nela como um motivo a mais para viver! E vivi!

Infelizmente, a vida tem dessas coisas.
.
TõeRoberto-post in jampa/pb

música: Variada
publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Segunda-feira, 23 / 02 / 09

CAMINHADA

Poemas Escolhidos

 

Aqui estou, final de sonho
olhando nos olhos de quem não fui.

 

Fosse mais moço, forte cavalo
soltava a alma e galopava
pro fundo azul do insondável espaço.

 

Mas não quero nada, nada de nada!
Senão mirar-me no embaçado espelho
da minha própria face
senão cortar-me na afiada faca
da minha mágoa.

 

Aqui estou, aqui me vou
feito um danado
arrastando o fardo
da minha herança.

.
TõeRoberto-post in jampa/pb

música: Variada
publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Domingo, 22 / 02 / 09

MEU AMIGO OTTO

Textos Escolhidos

 

Ou Ottomizio!...

64 anos, teimoso, pressão sob pressão... fico imPRESSIONADO!

O danado é criança! Arteiro, sem-vergonha, bem-humorado, pronto para o que a vida oferecer.

Sempre disposto pro que der e vier.

Lhe disse: você não está na terceira idade!

"Tenho 64 anos!"

Pra entrar na terceira idade o sujeito tem que ter juízo, e isto você não tem!

Risos.

Verdade seja dita: tem gente que teima em não envelhecer. Meu amigo Otto é um! Falta-lhe juízo para envelhecer.

Sua cachacinha, seu uisquinho, sua cervejinha, gordurinha de picanha... uma esposa jovem - adepto total a todos os prazeres da vida.

É um batalhador/ralador, mas ao mesmo tempo um bom vivant.

Aplausos para o meu amigo Otto!

A vida é generosa para quem vive com todas as sensações à que tem direito.

Sejamos Ottos, na vida! Nada de juízo! Nada de achar que prazer é um direito dos jovens.

Ave, Otto! A sua falta de juízo nos leva a viver melhor.
.
TõeRoberto-post in jampa/pb

música: Variada
publicado por Antonio Medeiro às 05:00
Blog de TõeRoberto

Adamo&Isabelle

Fevereiro 2009

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9

Comentários recentes

  • Sem palavras, silenciou e falou.Sem Palavras! Caro...
  • Caro TõeRoberto,Exceto pela parte do dedo no vidro...
  • Elimine os filtros, Primo! Não é fácil... eu que o...
  • show de bola o texto, especialmente as frases fina...
  • Olá, desculpa o meu Português não escrever bem per...

mais comentados

Subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro