Homens&Pássaros

pesquisar

 
Domingo, 23 / 11 / 08

LUGARZINHO ÀS 06 HORAS

Poemas Escolhidos

 

Ruazinha de paralelepípedos
igrejinha de sininho triste
casinhas de jeitinho arcaico
povinho de modinhos tristes
de olhinhos vagos
de olhinhos tristes
de modinhos vagos.

 

Cidadezinha minhazinha
cidadezinha
minhazinha cidadezinha
minhazinha
como é felizinho
meu coraçãozinho tristinho
abafado por tanta ingenuidade.

.
TõeRoberto-09:04-post in jampa/pb

música: Ponta De Areia - Milton Nascimento
publicado por Antonio Medeiro às 05:28
Sábado, 22 / 11 / 08

A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER - PARTE II

Textos Escolhidos

 

A violência contra a mulher é endêmica.

Elas não são vítimas só da violência doméstica: são abordadas nas ruas, nos transportes urbanos, elevadores; sofrem assédio sexual no emprego; pagam pelos erros dos seus maridos; são mal-atendidas nos hospitais; recebem salários menores que os dos homens e são taxadas de incompetentes, por exemplo, quando estão dirigindo.

Ao contrário do que se pensa, a violência contra as mulheres não é um privilégio dos pobres.

Ela está enraizada em todos os níveis da sociedade, não importando a raça, a religião, a escolaridade e a posição social.

A violência contra as mulheres da Classe A parece ser bem menor que as das Classes B e C, o que não é verdade.

As estatísticas da violência entre as mulheres da Classe A talvez sejam menores porque, por motivo de dependência e estabilidade financeira, por medo, por vergonha ou para proteger o nome da família, elas não denunciam os seus companheiros às autoridades.

Muitas vezes 'as autoridades' são os seus maridos, os seus companheiros.

A violência absoluta contra as mulheres tem um só motivo: o machismo.

Para o promotor Westei Conde, coordenador do Centro De Apoio Às Promotorias De Defesa Da Cidadania De Pernambuco, só mudanças culturais irão modificar o tratamento dado à mulher.

"A violência é um aprendizado, os homens são socializados para ter a violência como uma forma de resolução de conflitos."

O machismo é uma doença na sociedade brasileira, com um agravante: as próprias mulheres mantêm posições machistas contra elas mesmas.

Por exemplo: é muito comum a gente ouvir da boca de uma mulher que a mulher de fulano mereceu levar umas 'porradas' porque é muito 'folgada!', muito 'espaçosa!', "fala demais!'

Homens que, no início de relacionamentos, são educados, divertidos, responsáveis, compreensivos, podem, após o casamento ou o morar juntos, se tornarem pessoas extremamente violentas e possessivas.

É um comportamento que não tem volta!

Continua...
.
TõeRoberto-09:21-post in jampa/pb

música: Genuit Puerpera Regem - Monjes Del Monastério De Santo Domin
publicado por Antonio Medeiro às 05:03
Sexta-feira, 21 / 11 / 08

O RETRATO

Poemas Escolhidos

 

Aqui estou, gelo magoado
pedra ferida
lírio apanhado
pelo frio da vida.

 

Aqui estou, portas cerradas
língua aflita
sonho acordado
pela não da vida.

 

Aqui estou, nau à deriva
mar infinito
angústia talhada
pela mão da vida.

 

Aqui estou, vida perdida
noite eterna
bicho escondido
no escuro canto dos sentidos.

.
TõeRoberto-09:02-post in jampa/pb

música: Just A Dream Ago - Rita Moss
publicado por Antonio Medeiro às 05:34
Quinta-feira, 20 / 11 / 08

A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER - PARTE I

Textos Escolhidos

 

As estatísticas da violência contra a mulher no Brasil são assustadoras.

Em 2004 foram assassinadas, no Brasil, 3830 mulheres.

Em 2006, no período de janeiro a junho, só em Pernambuco foram assassinadas 285 mulheres.

60 a 70% delas foram assassinadas por parceiros, ex-parceiros, namorados, ex-namorados.

Outras 20% por parentes, vizinhos e conhecidos.

Pernambuco é só o 3º entre os estados que mais matam mulheres.

Foram 6,5 mortes por 100.000 mulheres em 2004, segundo dados da Ministério da Saúde.

Pernambuco chama a atenção pela contradição com este cenário violento: o estado conta com uma das mais ativas e organizadas rede de organizações feministas do Brasil.

Foi criado, em Pernambuco, em 1988, o Fórum das Mulheres de Pernambuco que reúne 67 entidades que vão de associações de agricultoras do sertão, prostitutas do Recife, domésticas e entidades universitárias.

O dia 25 de novembro é o dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher.

A data foi estabelecida em 1981, na cidade de Bogotá, durante o Primeiro Encontro Feminista Latino-Americano.

O dia lembra o assassinato das irmãs Minerva, Patria e Maria Mirabal que, em 1960, militavam, na República Dominicana, contra a ditadura do General Rafael Trujillo.

Assista ao filme "No Tempo das Borboletas".

Ele conta a história das 03 irmãs.

Complementando as estatísticas, na América Latina e no Caribe a violência doméstica atinge de 25 a 50% das mulheres.

Os dados aqui informados são os contabilizados pelos órgãos oficiais, não constando, obviamente, os dados das mulheres que sofrem, em silêncio, as suas humilhações.

As estatísticas oficiais estão muito aquém da realidade...

 

Continua...
.
TõeRoberto-post in jampa/pb

música: My Immortal - Evanescence
publicado por Antonio Medeiro às 05:05
Quarta-feira, 19 / 11 / 08

O CORAÇÃO

Poemas Escolhidos

 

Coração

 

cor
ação

 

corda
ação

 

cor da
ação

 

cala
não!

.
TõeRoberto-post in jampa/pb

música: Coração Bobo - Alceu Valença
publicado por Antonio Medeiro às 04:54
Terça-feira, 18 / 11 / 08

MACEDINHO

Textos Escolhidos

 

O meninozinho de carinha suja e olhinhos vivos, filho de D. Madalena Cruz-Credo, chama-se Macedinho e mora lá no fim da periferia da urbanidade dos homens.

"Um pouquinho de comida! Um pouquinho de!..."

(Um homem de terno azul-cinzento ficou bravo na minha frente quando moleques tiraram o pão da boca do cachorro da Rua dos Cachorros).

"Seus moleques!... Capetas!... A prefeitura deveria dar bolas era para vocês!..."

Macedinho tem, nos bolsos furados, uma broa de fubá que aperta com amor.

Na rua, os homens são imponentes; às vezes tomam os pães ou as broas de fubá das mãos e das bocas das crianças indefesas.

Como os meninos ao cachorro.

"Dinheiro prum meio quilo de arroz!..." Deus lhe pague!... Deus lhe..."

As janelas são um amontoado de barras de ferro quadradas e negras dentro da noite fria.

Passos corridinhos, em forma de medo, se movimentam no escuro da cidade e se escondem nas sarjetas da noite.

O homem gordo ronca debaixo de colchas caras.

Macedinho corre pela noite.

Junto dele correm, em silêncio, milhares de olhinhos medrontados, esfomeados e sufocados por nossa omissão consentida.

Os homens dormem seus sonos tranqüilos e sonham, noite adentro, que roubam os pães e as broas de fubá da boca dos meninos adormecidos.

E sorriem absolutos!
.

(Fonte - Texto - Autoria de TõeRoberto)
Post in Jampa/PB

música: Upa Neguinho - Elis Regina
publicado por Antonio Medeiro às 01:39
Segunda-feira, 17 / 11 / 08

O SILÊNCIO LATIDO

Poemas Escolhidos

 

Cadê meu travesseiro?
A noite chegou
o amor me aperta.

 

Sossega, amor!
Não quero brincar de sofrer.

 

Amor durão
travesso
velho!
Amor eterno!

 

O silêncio do amor é doído.

 

Na rua,
o cachorro late sua velha canção.

 

Eu penso
silenciosamente penso
no latido que ouço!...

.
(Fonte: Poema - Autoria de TõeRoberto)
Post in Jampa/PB

música: Dans La Nuit - Sarah Brightman
publicado por Antonio Medeiro às 03:54
Blog de TõeRoberto

Adamo&Isabelle

Novembro 2008

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9

Comentários recentes

  • Sem palavras, silenciou e falou.Sem Palavras! Caro...
  • Caro TõeRoberto,Exceto pela parte do dedo no vidro...
  • Elimine os filtros, Primo! Não é fácil... eu que o...
  • show de bola o texto, especialmente as frases fina...
  • Olá, desculpa o meu Português não escrever bem per...

mais comentados

Subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro