Do nada:
Eu tô sabendo!

O quê???

De tudo!

Tudo o quê?

De tudo, do começo ao fim!

Que começo, que fim?

O que cê anda aprontando!

Aprontando o quê?

Cê vai se fudê!

Para com isso!

Cê nunca quer falar nada!

Falar o quê?

Seu puto!!!

Porra, o que é?

Cê sabe o que é!

O que é?

Cê é muito safado!

Cê enche o saco!

Eu só sirvo pra isto!

Enche mesmo!

Não tô aguentando mais!

Aguentando o quê?

Tudo!

Tudo o quê?

Nós... nós... tudo!

Pelo amor de Deus!

A cerveja todo dia!

O que tem a cerveja?

Nada, a cerveja não tem nada!

Mas estamos brigando por quê?

Eu não tô brigando!

Tá brigando!!!

Não tô!

Mas eu tinha feito uma coisa!

Que coisa?

Uma coisa!

Que coisa, não falei nada disto!

Falou, eu ia me fuder!

Cê tá louco!

Cê é que tá louca!

Tá vendo?

Vendo o quê?

Como você me trata!

Trato como?

Você... seu... seu grosso!

Eu???!!!

Esse seu jeito!

Meu jeito!

É, seu jeito!

Pelo amor de Deus!

Olha, enchi, precisamos sentar e discutir a nossa relação!

Mas estamos discutindo a nossa relação!

Não!

Como não?

Não, discutir... discutir mesmo a nossa relação... do jeito que vai não dá!

Não dá o quê!

Porra!!!

Chega, amanhã a gente conversa!

É sempre assim!

Sempre assim, o quê!

Assim!...

Vou dormir, tenho que levantar cedo!

Eu também tenho!

Então vamos dormir!

Você nunca quer conversar!

Estamos conversando!

Assim, não!

Como assim, não?

Assim!...

Amanhã!

Amanhã sou eu que não quero conversar.

Boa-noite!

Boa-noite... no sofá!!!

Do nada, disputando o sofá com o cachorro!

publicado por Antonio Medeiro às 07:18