Aos poucos Sirenildo foi engolindo a separação.

Primeiro, jogou o veneno fora.

Em seguida, se livrou dos 05 metros de corda escondidos embaixo da cama.

Do 38 que comprou no porto.

Do vidro moído que vinha fabricando há tempos.

Dos 150 comprimidos de barbitúricos.

Da Bíblia que lia todas as noites.

5 anos sem fazer a barba; fez a barba, depois se livrou das lâminas de barbear.

Cortou o cabelo.

Comprou roupas.

Um par de sapatos.

E disse: foda-se!

Queimou o retrato de Ladyzaura, rasgou as fotografias de Sirenildo Jr e Ladynilda Maria - filhos - jogou gasolina na casa, riscou um fósforo e...

Virou as costas, deu um sorriso diferente dobrou a esquina e simplesmente... desapareceu.

Dizem que para sempre!

publicado por Antonio Medeiro às 08:56