Às portas dos 50 anos
o poeta, astro maior,
é só brilho.

Fundiu-se na galáxia
e espalhou-se em fragmentos
nos olhos do tempo.

Sangra os pés
nas pontas brilhantes das estrelas
e seu coração,
lua cósmica,
minguando no universo,
explode em feixes de luzes
e ilumina, suavemente,
sem preconceitos,
o casal de humanos
- à beira do mar -
insanos!
(Eunápolis/ba/10:34hs)

publicado por Antonio Medeiro às 06:09